Frio agrava dores na coluna e outras doenças reumáticas

Dores na coluna, artrite, artrose e até a fibromialgia são agravadas no frio.

Mas, o problema pode ser controlado com medidas simples e exercícios físicos

Com a chegada do inverno, quem sofre com dores na coluna e problemas como artrite, artrose (bico de papagaio) e fibromialgia costumam ter as dores agravadas.

Diversos vírus, muito comuns nessa época do ano por causa das gripes, também provocam problemas reumáticos em quem nunca teve sintoma dessas doenças.

Existem as artrites causadas por vírus, Mialgia Viral (dor muscular no corpo) e Miosite pós-viral (inflamação dos músculos decorrentes de viroses).

Segundo a reumatologista Evelin Goldenberg, doutora em Reumatologia pela Unifesp, e médica do Hospital Albert Einstein, no frio as pessoas ficam mais retesadas, com os músculos mais contraídos, o que pode levar ao agravamento da dor.

“Além de se agasalhar bem, uma atitude fundamental é não parar de fazer exercícios físicos”, afirma. “Pacientes que estavam indo muito bem sentem a piora após interromper a prática do exercício”, explica a especialista.

Um outro fator que pode agravar as dores é a depressão. “O frio aumenta os quadros depressivos, a pessoa fica mais triste, e a depressão gera dor”, diz Evelin. “Assim, o aumento de peso comum nessa época aliado ao aumento do sedentarismo e ao lado emocional agravam os problemas reumáticos”, afirma a reumatologista.

A fibromialgia, doença caracterizada por dores generalizadas no corpo, tem entre os fatores desencadeantes o estresse emocional e a mudança climática, especialmente frio e umidade. Há também a fibromialgia pós-viral. “Inicia-se um estado de gripe e que não melhora mais dos sintomas, a pessoa acha que não haverá mais cura, porque as dores se prolongam no tempo”, diz Evelin.

Quem sofre de artrite reumatóide também se queixa mais de dor no inverno. Nas artrites pós-virais, uma reação imunológica que provoca inflamação nas articulações, que podem ficar inchadas, vermelhas e com dificuldade no movimento. Em alguns desses casos, o paciente terá de ser medicado para perceber a melhora.
Editoria /Cyber Diet

Dores na coluna podem aumentar no inverno

Idosos e sedentários sentem mais dores nesta época

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população mundial, em algum momento da vida, sofrerá com dores na coluna. O fisioterapeuta Dr. Giuliano Martins, diretor regional da Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna (ABRColuna) e do ITC Vertebral Curitiba, ressalta que o frio faz a musculatura contrair, o que pode aumentar as dores. “Com a chegada do inverno, as queixas de dores são mais freqüentes, principalmente em articulações e ossos. O que ocorre é que temos uma contração dos vasos do nosso corpo, que fica mais frio e a flexibilidade diminui”, explica Martins.

Outro motivo para as dores ficarem mais intensas nas baixas temperaturas, segundo Martins, é a contração involuntária da musculatura. “No frio, a musculatura permanece em constante reação de defesa, realizando uma contração involuntária para aumentar a temperatura, aquecendo o organismo. Com isso, poderá ocorrer deficiências no suporte sanguíneo, causando queda no metabolismo, encurtamento das fibras musculares, diminuição da massa e da força muscular, limitação articular, alterações biomecânicas, ou seja, maior dificuldade do corpo de fazer certos movimentos, além de alterações posturais”, afirma o fisioterapeuta.

As pessoas mais propensas a ter dores nesta época são os idosos e sedentários. “Essas pessoas sofrem mais com o frio, pois têm os músculos mais enfraquecidos e encurtados e necessidade de aquecimento da musculatura provoca contrações, deixando algumas partes do corpo mais doloridas. A artrite e a artrose, por exemplo, são doenças comuns que geralmente se agravam com a chegada do frio”, explica o educador físico do ITC Vertebral Curitiba, Sandro Veríssimo. “Nas articulações, o líquido sinovial (que já está diminuído no idoso), fica mais espesso com o esfriamento do corpo, podendo limitar os movimentos e gerar incômodos”, complementa Veríssimo. Para prevenir e combater as dores, o educador físico orienta que a prática de exercícios regulares é muito importante e não deve ser interrompida no inverno.

 

Mais Equilíbrio/ Terra.

 

ENERGIA MAGNÉTICA PARA EVITAR COÁGULOS.

Nos Estados Unidos, pesquisadores estudam uma forma diferente de evitar a formação de coágulos sanguíneos- eles podem obstruir a passagem do sangue e causar infarto ou acidente vascular cerebral. Eles estão usando a energia magnética. “Verificamos que as células vermelhas do sangue respondem ao campo magnético”, explicou a ISTOÉ Rongji Tã, da Temple University e pesquisador responsável.

Isso quer dizer que , quando submetidas a este tipo de onda, as células se agrupam no centro dos vasos, formando uma espécie de fila, o que evita seu ajuntamento descoordenado e a formação de coágulos.

O método, poderá  ser no futuro uma alternativa de tratamento para pacientes que precisam tomar diariamente remédios anticoagulantes.

REVISTA ISTO É -MEDICINA & BEM-ESTAR DIA 27/07/2011